APROVEITANDO-SE DA PANDEMIA – Vereadores de Palmeira dos Índios aprovam reajuste dos próprios salários e os da prefeitura

Após questionamentos da população, o prefeito Júlio Cezar destacou que a iniciativa não foi sua e disse ser contra o reajuste; novos valores valem para o mandato 2021/2024

Prefeito de Palmeira dos Índios, Júlio Cezar

Em meio à pandemia de coronavírus, que também está causando uma crise econômica nacional de grandes proporções, a cidade de Palmeira dos Índios, no agreste alagoano, tem se aproveitado do momento de fragilidade para garantir a fartura do próximo ano. É que a câmara de vereadores aprovou o projeto de Lei n.º CM 005/2020, que reajusta o salário deles, do prefeito e dos secretários para os mandatos de 2021 a 2024.

O Projeto de Lei foi votado ‘às escuras’ no dia 18 de março de 2020, só que a pauta foi inserida apenas minutos antes do início da sessão ordinária realizada todas as quartas-feiras na Câmara Municipal. Inclusive, foi prometida a transmissão por meio de uma rede social, mas isso não ocorreu e os vereadores alegaram “problemas técnicos”.

O valor aprovado para o próximo mandato é de R$ 8.700 para os vereadores, mais R$ 2.500 de auxílio-combustível, que totaliza um vencimento de R$ 11.200. Já o salário do prefeito salta para R$ 27 mil e o do vice-prefeito para R$ 18 mil. Os secretários da prefeitura também entraram na festa para receber R$ 8.700.

Após o assunto ter vindo à tona na imprensa e os cidadãos palmeirenses terem criticado a ação por meio das redes sociais, o prefeito Júlio Cezar (PSB) disse que era contra o aumento e frisou que a iniciativa não foi sua, mas sim do poder legislativo. O Projeto deveria ainda passar pelas mãos do gestor para sancionar ou vetar a lei. Ele tinha até o último dia 6 para dar o caso por encerrado, mas a decisão ainda não consta no Diário Oficial.

Embora haja legalidade no Projeto, que pode ser feito a cada quatro anos, o momento é de extrema delicadeza e requer cautela. Com o Brasil enfrentando um isolamento social por causa da pandemia, órgãos públicos fechados, escolas com aulas suspensas, hospitais em situações caóticas, cortes nos salários dos trabalhadores da iniciativa privada e ainda o aumento do desemprego, a população de Palmeira dos Índios pode amargar duras consequências por ter seus eleitos se deleitando com o dinheiro público.

Botão Voltar ao topo
Fechar